Seguro de vida: entenda o que é, contrate logo o seu.

Nunca sabemos o dia de amanhã. Um acidente, uma morte repentina ou uma doença podem bater à porta e acabar com todo um planejamento. E o mais importante: como ficam as famílias que dependiam de alguém que sofre algum destes males? A principal razão para se ter um seguro de vida é a garantia de uma proteção financeira, no caso da falta ou invalidez. Se a pessoa for, também, a principal fonte de renda da família, a motivação é ainda mais especial. Contratando o seguro de vida, cônjuges, filhos, netos ou outros dependentes terão o aporte necessário para se manterem até encontrarem novas formas de rendimentos. 

Como funciona?

Antes de adquirir o seu seguro de vida,  peça orientações ao seu corretor. Avalie quais são suas reais necessidades e leia todo o contrato, evitando pagar por coberturas que não serão utilizadas. Verifique as situações que não cabem indenização e as condições específicas da apólice. Atenção, também, ao preço e taxas cobradas, que variam de acordo com as coberturas selecionadas.

Neste tipo de seguro, prevalece o princípio da relação quanto menor o risco, menor a probabilidade de ocorrer o evento. Logo, menor será o prêmio (valor inicial pago para a contratação do serviço). Seguindo esta lógica, os mais jovens pagam menos na cobertura por morte, devido ao seu risco de morte natural ser menor, e os mais idosos pagam mais, pelo risco maior.

Quem pode contratar um seguro de vida

O seguro de vida tem limite de idade para ser contratado. Conforme envelhecemos, também crescem exponencialmente os riscos. Por isso, a grande maioria das companhias aceita novos seguros de vida até 65 anos. Algumas outras, até 60 anos. O ideal é fazer o seguro de vida antes dessa idade pois, ao atingir a idade limite, o contrato poderá ser renovado automaticamente.

O mercado segurador tem oferecido cada vez mais produtos focados no público da terceira idade, o que pode ser uma alternativa bastante viável. As opções variam muito de empresa para empresa. Hoje em dia já existem seguros diferenciados para pessoas entre 60 e 80 anos, com coberturas e condições diversificadas.

Formas de contratação

O seguro de vida pode ser contratado de duas formas: individual ou coletivo (em grupo).

  • Individual: aquela na qual a relação entre o segurado e a seguradora é direta, ou seja, o segurado é uma pessoa física.
  •  Coletivo: são os que a relação entre os segurados e a seguradora é indireta, por meio de uma empresa, que contrata o seguro de vida em grupo, para seus funcionários e/ou sócios.

Principais coberturas

Cobertura de Morte: Garante ao beneficiário o pagamento de uma indenização correspondente ao valor do Capital Segurado estipulado na Proposta de Adesão ou no Certificado de Seguro, caso ocorra a morte do segurado por causas naturais ou acidentais, durante o período de vigência do seguro.

Para efeito de seguro de vida, são considerados dois tipos de mortes:

  • Morte Natural : morte por qualquer causa,  que garante o pagamento de uma indenização ao beneficiário em caso de morte do segurado. (Morte por doença, por exemplo).
  • Morte Acidental: falecimento decorrente de acidentes, ou seja, por eventos com data caracterizada, exclusiva e diretamente externo, súbito, involuntário e violento, causador de lesão física que, por si só e independente de toda e qualquer outra causa, tenha como consequência direta a morte da pessoa.

Cobertura de Morte do Cônjuge: garante ao segurado o pagamento de da indenização de valor equivalente a um percentual, de acordo com o produto contratado, do Capital Segurado, caso ocorra a morte do seu cônjuge por causas naturais ou acidentais. Não haverá a indenização se o óbito estiver no rol de riscos excluídos da apólice.

Acidentes Pessoais: são eventos externos, súbitos, involuntários e violento. Possuem data caracterizada e causam lesão física que, por si só, leve à morte ou invalidez permanente total ou parcial do segurado.

São considerados acidentes pessoais:

  • Suicídio ou tentativa de suicídio após dois anos de vigência da apólice. Em um seguro de vida com menos de dois anos de vigência, o suicídio não é considerado acidente pessoal;
  • Acidentes decorrentes de ação da temperatura do ambiente ou influência atmosférica;
  • Escapamento de gases e vapores;
  • Sequestros ou tentativas de sequestros;
  • Alteração anatômicas ou funcionais da coluna vertebral, de origem traumática, causadas exclusivamente por fraturas ou luxações, radiologicamente comprovadas;
  • Ataques de animais, hidrofobia, envenenamento ou intoxicações deles;
  • Choque elétrico e raio;
  • Contato acidental com substâncias ácidas ou corrosivas;
  • Infecções e estados septicêmicos (infecção generalizada) quando resultantes exclusivamente de ferimento visível. (Exemplo: Tétano);
  • Afogamento;
  • Tentativa de salvamento de pessoas ou bens;
  • Atropelamento, tiro, facada, pedrada, desmoronamento etc;
  • Acidentes em transportes. (avião, veículos e outros).

Conclusão

Faça uma cotação e aprenda mais sobre o seguro de vida. Pense em como é importante garantir a qualidade de vida de seus familiares ou dependentes. Para maiores informações sobre diversos tipos de seguros, visite o site da SUSEP, o órgão regulamentador de seguros privados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *