Por que fazer um Contrato de Seguro e não um similar?

Quando se trata de proteger seus bens, seu patrimônio e suas conquistas, não se deixe enganar, contrate realmente um seguro e fique seguro. Se está precisando renovar ou fazer um seguro, procure um corretor confiável que realmente te ofereça um contrato de seguro de uma seguradora, porque no mercado existe outros tipos de contrato que não se enquadram como seguros.

O Contrato de Seguro ou Apólice de Seguro

O verdadeiro contrato de seguro possui detalhes que o torna distinto e inconfundível. Como foi dito anteriormente, só uma seguradora está apta a emitir uma apólice de seguros. O nome Apólice de seguro é o nome do contrato de seguro. Somente uma seguradora autorizada pode emitir uma Apólice. Lembre-se, o contrato de seguro emitido por qualquer outra entidade que não seja de uma seguradora regulamentada é uma imitação e não será realmente um contrato de seguro. Isso significa que o consumidor está sendo enganado, porque se ele desejar garantir o risco e não o fizer com base em um contrato de seguro, ele não estará realizando uma operação de seguro, o que pode configurar fraude ou crime contra o consumidor.

Sendo assim, no mundo das operações de seguro, esse tipo de contrato não tem valor legal e consequentemente, não obriga as partes a cumprirem às exigências previstas para o negócio do seguro. O verdadeiro contrato de seguro é um contrato bilateral, onde as seguradoras se obrigam a garantir o direito legítimo do segurado. Conforme a lei, a seguradora é a única entidade que pode emitir apólice para garantir o direito legítimo e futuro do segurado, excluindo companhias, ou cooperativas, ou organizações.

Na verdade, o segurado não transfere seu risco para a seguradora e sim, ao contratar uma apólice, ele está transferindo a responsabilidade pelo pagamento da indenização em função da ocorrência de um evento previsto na apólice que lhe causou o prejuízo. Para poder ser uma seguradora é necessário cumprir várias exigências de capital, reservas e limites de operação. É o cumprimento dessas obrigações, que garante a segurança necessária para que a companhia atue no mercado, comercializando seguros, nos ramos em que está autorizada.

Por que é mais seguro com uma seguradora?

Em todo o mundo, inclusive no Brasil, esse setor de seguros é muito bem regulamentado e fiscalizado. As seguradoras fazem o papel de administrar os recursos que pertencem aos segurados, onde a finalidade específica é pagar as indenizações dos eventos contratados.

Para garantir o pagamento dessas indenizações é importante que a seguradora tenha capacidade financeira.  Para tanto, o número de segurados, frequência de sinistros, valor médio das indenizações, entre outros, são fundamentais para definir a capacidade operacional de cada seguradora. Fique atento, pois as cooperativas e associações de proteção estão no mercado oferecendo proteção como se fossem seguradoras sem ser. Esse tipo de entidade não atende as regras legais e não estão sujeitas à fiscalização da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), não tem capital mínimo que possam garantir que eventuais indenizações sejam pagas, não prestam contas de suas ações e não tem qualquer responsabilidade comparável às das seguradoras regularmente constituídas. Em função disso, as cooperativas e associações de proteção conseguem produtos muito mais baratos, pelo simples fato de abrirem mão dos custos regulamentares de uma seguradora.

Conclusão

Se no momento de um sinistro realmente quiser a garantia de receber a indenização esperada, contrate o seu seguro em uma seguradora, pois, do contrário, corre o risco de não receber o valor correto da indenização. Pagando menos, sem se preocupar com o fato de quem está garantindo seu risco não ser uma seguradora, existe a grande possibilidade de ficar sem receber a indenização. Para saber mais sobre os mais diversos tipos de seguros, continue acompanhando nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *